Afro-brasileiros, por que e como ser resilientes? Mostramos em X ações!

4 minutos para ler

A resiliência é a capacidade do ser humano de conseguir passar por situações de crise e evoluir com elas. No mundo moderno, essa é uma qualidade fundamental para driblar os obstáculos — também no mercado de trabalho. Apesar de ser necessário, aprender como ser resiliente não é fácil, principalmente se você for negro e viver em uma sociedade racista.

Afinal, os afro-brasileiros foram historicamente relegados às piores posições na sociedade, vítimas do racismo e da escravidão. Todas essas consequências são herdadas até hoje. Isso quer dizer que, normalmente, as pessoas já vão definir o lugar do negro na sociedade. Como a posição de cada um deve ser uma escolha individual, é preciso encontrar na resiliência a força para alcançar seus objetivos.

Por essa razão, preparamos esse post com algumas ações que ajudam alguém como ser resiliente. Continue a leitura e descubra!

1. Encontre um propósito

Conforme mencionado, é natural encontrar muitos desafios diários que mexam com nosso equilíbrio natural. Porém, quando você tem um propósito, fica mais fácil se reorganizar para continuar em busca desses objetivos.

Isso pode ser uma causa em que você acredita, necessidades financeiras, amor por alguém e, até mesmo, a fé. Essa última pode produzir uma maior sensação de conexão com o universo e aumentar a força do indivíduo.

2. Exercite o autoconhecimento

A sociedade está repleta de preconceitos que podem diminuir nossas forças e reduzir quem nós realmente somos. Dessa maneira, fica muito mais difícil conseguir uma recuperação diante das adversidades.

Por exemplo, se você é uma pessoa afro-brasileira, saber que é negro não é suficiente para o autoconhecimento — é preciso ter consciência negra. Se você não sabe o que isso representa, a sociedade vai mostrar, e, dificilmente, serão coisas positivas.

Powered by Rock Convert

Assim, entenda que usar o cabelo black power, turbantes e tranças vai muito além da estética afro. Você já ouviu falar do grito de resistência ‘’black is beautiful’’ dos Panteras Negras? Pesquise sobre isso e vá além da questão estética. Entender quem é você, é se empoderar e ser resiliente.

3. Não se desculpe, se defenda

Quando você pratica o autoconhecimento, entende seu papel como pessoa negra, gorda, mulher, trabalhadora ou o que quer que seja, percebendo as inúmeras formas de preconceito.

A partir daí, dificilmente consegue ser uma pessoa indiferente e que minimiza a importância de lutar todos os dias pelo seu propósito. Pelo contrário: ao entender melhor a realidade que nos cerca, há mais chances de buscar a mudança para alcançar a evolução.

4. Foque no que há de positivo ao seu redor

Quando abrimos os olhos para a realidade, não encontramos apenas preconceitos, mas também pessoas que estão em busca do mesmo objetivo que o nosso e a sensação de pertencimento a algum grupo social – o que é reforçado por meio da arte e cultura, por exemplo. Então, há motivos mais sólidos para continuar com o foco no seu propósito de entrar em uma universidade, no mercado de trabalho ou no que quer que seja.

5. Trabalhe sua inteligência emocional

A inteligência emocional diz respeito à capacidade de alguém de lidar com os próprios sentimentos para enfrentar os desafios diários. Assim, perceba que resiliência não é sinônimo de ‘’endurecer o coração’’, pelo contrário. Não lidar com as emoções e se fechar para essa oportunidade prejudica a saúde mental, principalmente no caso dos negros — em que a cada dez jovens que se matam no país, seis são negros.

Expressar sentimentos (inclusive as situações racistas enfrentadas) para quem faz parte do seu convívio social fortalece o laço entre as pessoas e potencializa as chances de retribuição. Dessa maneira, há um maior sentimento de pertencimento, que é uma necessidade humana.

Ser negro em uma sociedade racista é um desafio enorme e que pode comprometer nossa saúde mental. Por essa razão, aprender como ser resiliente é fundamental, especialmente para esse grupo. Além do mais, não deixe de procurar ajuda de especialistas para cuidar melhor da sua saúde.

Então, gostou do nosso post? Compartilhe nas suas redes sociais para que outras pessoas possam acompanhar as dicas e adotá-las em seu dia a dia!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.